2.9.08

Márcia Maia

Aloha Presença !

Após algum tempo afastado devido a uma carga excessiva de trabalho, retorno às boas esferas destes posts e deste mundo da poesia "nossa".
Faz umas semanas andei fuçando alguns blogs e me deparei com esta grata surpresa que é a poesia de Márcia Maia.
Troquei um e-mail com a moça, uma pernambucana muito simpática, que me autorizou a postar aqui o soneto "dança comigo?".
O soneto é profissa, pra fazer um comentário absolutamente insuficiente. As aliterações embalam o poema sem os apelos fáceis da previsibilidade que este recurso geralmente carrega.
O decassílabo é uma pequena obra prima e segue abaixo; o blog da moça já se encontra nos favoritos deste espaço e é carregado de bons poemas, além do caminho das pedras para adquirir os livros que ela já publicou.

Cerveja gelada à tarde descompromissada !

- - -

que importa no compasso além do passo
se passo-a-passo passo além da porta
que encerra qual comporta o pouco espaço
e em marca-passo irmana passo e aorta -

retorta que destila o descompasso
do corpo quando lasso se transporta
e à porta aporta feito em sangue e laço
(nenhum estardalhaço se suporta)

comporta antes ousar unir o traço
ao braço que no abraço outro conforta
e à dança desentorta em novo passo

um passo e outro passo o chão recorta
rompendo o lacre à porta e ao compasso
ao qual além do passo nada importa


(Márcia Maia)

3 comentários:

william disse...

É Isaac já havia visitado o blog da Márcia e gostado bastante dos versos e da boa apresentação do blog.
A sonoridae do soneto já indica uma dança de passos alternados. lá e cá, um poema que não deve ser apenas lido mas também falado.
Bem vinda Márcia.

Rachel Souza disse...

Parabéns Márcia!
Bom mesmo!

Márcia disse...

Beijo, Isaac! E obrigada, viu? ;)