13.2.08

Saudando Ginsberg

Agora somos nuvem sem céu,
deslocados.

Quem são os expoentes do nosso tempo?
Qual é o nosso tempo?

Atravessamos as horas de braços dados,
desviando os olhos,
ensaiando as próximas palavras.

Aqui nesta esquina sem ponteiros,
eu passo e tu permaneces.

Outubro de 2003

2 comentários:

isaac disse...

ginsberg ... quisera ter um "expoente do nosso tempo" como esse ! grande e verborrágico ginsberg ...
ou um louco como iuri gagarin .. imagina, o cara vira pra vc e diz "broder, a terra é azul", e vc ali, achando que o cara tá viajando ...

Heyk Pimenta disse...

Senhores,

eu digo e repito, pra quem tem saco que leia lá no beijo de sal A Fibra, porque é um poemao.

mas vou dizer foi falando latim que os ibéricos inventaram o portugues e o espanhol.

entao... façamos como eles. como todos os que quisermos achar que podem trazer bons ares.

nao somos a tropicalia nem o modernismo, mas a tropicalia nasceu tentando ser o modernismo.

o que seremos tentand ser a tropicália?

As cartas tao dadas. amos pra briga seus canalha!

bjocas!