9.8.08

Música pretérita


.............Com o movimento do mundo no peito, técnica mista s/papel,2007.

Música pretérita
.........................................'""Volta música pretérita ao bojo de tua flauta"
.......................................................................... Ruy Espinheira Filho
Há algo que não cala
um pouco que no fundo ainda fala
Sem mercúrio que sare.
Um toque
um resquício
um algo lá
que desaba numa noite qualquer
numa dose a mais
num dia parado
no caminho não desviado.

Uma lembrança que arranha
e se faz contra a vontade.
O último nó da sutura
que se esforça pra rebentar.
Há dias secos de nunca mais
de trazer engasgos
e entrar sem bater.
Não há sono que acalme.
Não há fuga que apague.
Sensação de mundo longe
de perguntar pra quê
Por quê?
Aqui ou ali?

E do impossível
do desejado
o mais dolorido.
Do inviável
mais sentido por assim ser.
Por ser não sendo
Pelo não ter sido.
Posto no devido
findo.

Mas há ainda um sim
que de repente te surpreende.
O outro dia
o lado esquecido há tanto
que num estalo ressurge.
Transparente
límpido.

Dois pés firmes sobre o chão
e os braços que se abrem a tudo.

E assim vamos em frente
com nossas mochilas às costas.
Carregando a matéria do tempo e da vida.

Agosto de 2008.

3 comentários:

Rachel Souza disse...

Se a música surge, cante-a e siga.
Beijo.

Heyk Pimenta disse...

parece que tõ me entendendo com sua linguagem. ou com o seu símbolo, o que é pior porque aí o gosto pelo poema pode ser mentira, mas fiquei muito tocado com o texto. vou olhá-lo.

abração, caro!

Heyk Pimenta disse...

ah, o beijo mudou de endereço:
http://heykpimenta.blogspot.com