13.8.08

Saudade

Fala galera do Presença... Minhas desculpas por andar tão ausente; estou viajando e o tempo me é escasso para escrever e postar.
Mas lá vai um poema que escrevi de bate e pronto na tela de postagem... Valeu!

Queria andar por ruas - viélas
De mãos contigo dadas
Quimeras...
Posto que "solo" ando
Buscando em vão a felicidade
Qual é inacecível pela distância
E que devora-me em forma de ância

Quanto amor agora brota de meu peito
Que fora por fraqueza zombeteiro
Por não saber
Que um homem só
É uma nau sem remo
É laborar com nó
É um verão ameno

E tendo a certeza da alegria
Que será rever-te um dia
Sinto-me forte como a pedra
Qual "single" piso e que é rua
Onde de mãos talingadas andaremos
Conversando amenidades
Observados pela lua

*Que seja forte enquanto dure
Posto que é sincero
Que seja saudável
Posto que nos faz bem
Que seja doce, puro e cristalino
Como o açucar do seu bejo
Posto que lambuza-me por inteiro

E quando a noite me cai
De saudade me dopo
Entorpecendo o coração
**Que alegre "ma non troppo"
De pensamentos de amor
De saudades - dissabor.

Fábio dos Santos, 13 de agosto de 2008 - Florença - Itália
*baseado naquele soneto, desculaps por não recordar o nome
** Com açucar com afeto - Chico Buarque

2 comentários:

Fábio dos Santos disse...

Desculpe-me pelos erros de português...

isaac disse...

fala fábio !
olhaí os ares primaveris. e não vai adiantar tentar guardar as memórias pois que nisto estamos fadados ao fracasso, senão viver o supra-sumo dessa nostalgia - o já.
- - -
irmão como estão essas andanças ?! hehehe abraços !