21.9.06

Adoração

Me faz nuvem,
Inaprisionável –
A inesquecível visão
Incomunicável
Que temos de dentro do avião.

Me liberta da prisão irrevogável
Com tuas palavras
E tua doçura,
Sem que eu me sinta um adorador,
Tísico de crença.

Utopista, te peço foco,
A impossível convergência,
Efêmera
Mas simplesmente
Desestruturante,
De tão redentora.

Nano-eu,
Atordoado no amor
Giga-teu.

(Isaac Frederico, aos 20 de setembro de 2006)
________________________________

ilê, poetas e leitores - concluí hoje meu sexto libreto, o quarto solo, denominado "lanterna mágica". como prévia eis o poema "adoração", espero que gostem.
abraços !!

Um comentário:

vinicius disse...

Bela prévia!

A abstração, num crescente, atinge o nível máximo - óbvio - no amor.

Vejo que as expectativas são boas; aguardo meu exemplar.