22.6.07

Provérbios "ultr´humanos"

"O ato peremptório pede um final ausente."

"A rosa que escala o inverno,
vem nascer na lama."

"O espinho que fere o menino,
é o espinho que serve escada aos insetos."

"O menino é um inseto no retrato antigo,
o retrato antigo é um inseto morto no quarto."

"A rosa que marcha para o alto não é rosa apenas,
é um soldado, rosas não marcham; e nunca rosa, apenas vermelho."

"As cores se inventam, assim como primários os cães sob as rodas, vermelhos."

"O vermelho é o amarelo do sol junto ao magenta do homem."

"O marrom é o fumo descabido e o rim aberto sob luzes fluorescentes."

"A casa está para o corpo, como o copo de chope para as bolhas."

"Meticulosos são os dedos de Cristo, infalíveis os dentes do demônio."

"Boas mentiras se contam sorrindo, boas verdades chorando."

"Quando o mau em miligramas, o bem em átomos."

"Paixão: em tudo é preciso; mesmo sabendo que tudo há de se tornar impreciso."

"Melhor saber que saber de cor suas qualidades, é enxergar nitidamente seus limites."

"Ela precisou morrer algumas vezes para exemplificar aos filhos o valor da vida."

"O homem cuja arma é o amor,
jamais encontra adversários à altura, quando numa guerra soldado for."

"A lagoa que somos precisa de sombras para que não nos evapore por completo o sol."

"És de tamanho igual ou menor que meus punhos cerrados,
mas possui mais liberdade que todo o meu corpo."
(aos pássaros - às portas de uma penitenciária)

"O poeta está sempre a se casar com a vida,
mas segue por ela eternamente apaixonado pela morte."

"Poetas nascem póstumos."

"Tudo o que precisamos ouvir, já foi dito, reescrito, pensado, diluído...
mas não da mesma forma. E é o poeta este gerador combinativo."

(r. elfe)

3 comentários:

isaac disse...

o "ultr´humano" é essencial para a apreciação destes "aforismos". um tiro inicial de calibre hercúleo, elfe... bem vindo seja !

renata disse...

Bem-vindo querido!
Já chegou abalando.
De tirar o fôlego...
Salve Presença!

Guto Leite disse...

Realmente "Salve, presença". Muito bom, muito bom. alguns principalmente. Grande abraço à resistência do lírico!