12.1.09

furnas de frutas doces

Estrelas acocoram-se nas pernas
e bisbilhotam furnas de frutas doces

são amantes a rondar prazeres
menores a desvendar cruezas

arredores de canções modestas
afibrilam peitos feitos de anis

e coloridos sonham com tardes poentes
bocas roxas de vento aproveitam laranjas
que apresentam paixões de verões inteiros

anoitecendo não é mais de areia que se constrói castelos
e as estrelas voam raso sobre as dunas nas luas de janeiro

7 comentários:

Priscila Milanez disse...

Lindo, Heyk! Lindo mesmo. Hoje se constróem castelos de tudo quanto é jeito, os tijolos e cimentos já não são mais os mesmo...E o final me lembrou de um lugar bonito pra se ver estrelas sobre dunas (itaúnas)... beijos, rapaz!

Heyk Pimenta disse...

QUe legal você me dizer essa ocisa toda, cara.
Nessa sexta, eti uma camiseta da caroll correndo pra trabalhar, quando cheguei no trabalho li que na camiseta tava escrito itaúnas. A roupa deve ter me ajudado aí no verso. Dunas.
Brigado, guria. Até bem logo.

william disse...

Bom rapaz,o furnas foge um pouco do que vinha lendo de ti no entre águas onde andavas (ou ainda anda?) num caminho de frases mais quebradas e de experimentação com a palavra.
Aliás os dois poemas que vc postou aqui deixam espaço para uma nova possibilidade, um outro caminho com espaço para uma poesia do olhar, de descrições mais pausadas.
Gostei bastante sem rasgação de sda.
Acho que é mais um campo aberto de possibilidades a serem trabalhdas. até.

Heyk Pimenta disse...

Isso aí é o que o Presença faz com a gente.

Mas é isso mesmo. Muitas casas, muitos sentimentos.

isaac disse...

pois é brodinho, ia comentar isso; muitas possibilidades que abres nos teus versos, fases mais experimentais, outras mais oníricas mesmo ... isso é bom, tenho certeza.
- - -
"paixões de verões inteiros", putaquiopariu que saudade de quando, guri á beira da praia, eu sentia isso, com o rosto queimado de sol.

Priscila Milanez disse...

É... o trecho do poema citado acima traz esse tom de amor com data prévia pro fim, que a gente sabe, vai acabar quando o calendário escolar recomeça, mas mesmo assim a gente vive até a última gota como se fosse pra sempre...saudosismos de adolescência...rs...
Pois é, tô indo pra Itaúnas essa semana, Bora?! rs

Heyk Pimenta disse...

gente: foi-se itaúnas, o calendário escolar ainda tem 3 meses de pausa, e o profissional? como fazemos? ferremo-nos!