27.1.09

Alforria

Pintura do autor, 2004

- - -

Liberdade no sonho.
Guia de cego.
Sol ponteando nossos passos.
Os sonhos libertando do real,
O sucedendo o si-bemol,
Bengala do conhecido,
Capuccino sem açúcar,
Liberdade de escolha
Entre Coca e Pepsi,
O Globo ou Jotabê,
O drama de acontecer,
Perfumes que um gosta
Mas o outro não,
Um “por quê existo?” no 433
Vila Isabel vermelhinho,
Sendo ou não,
Sem troco pra dez,
Guia de cego.
Liberdade dentro do sonho.


(Aos 25 de janeiro de 2009)

3 comentários:

Vinicius disse...

Deixando de lado os comentários estéticos:

Mas que sede, hein rapaz?

william galdino disse...

"Liberdade de escolha
Entre Coca e Pepsi,
O Globo ou Jotabê"

Diante de tamanha liberdade a vontade é puxar a alavanca e voar pela janela do vermelhinho 433.
Mas que bom que ainda há o sonho libertando desta realidade que se reduz entre apenas dois pontos.
no fundo no fundo nada é tão simples que caiba apenas num sim ou num não , bem quase nada é simples.
Gostei do pé no chão com os olhos atentos ao redor: coca, pepsi, vila isabel , 433...
uma poema carregado de imagens tangíveis e indo além na liberdade do sonho.
Bem é só uma leitura que faço e um vôo que alço.se tomo um outro rumo muito aqúem do que te levou a por eeas palvrinhas na tela, aí meu irmão é culpa total da poesia essa filha indócil que nos leva pra longe ou melhor, nos põe mais pertos de nós mesmos.

Até marujo. Comm una cuba libre na mão e uma idéia na cabeça.

Minina disse...

"Sem troco pra dez".. adorei isso! tão, tipo, aqele busão lotado, daí lá vai o cobrador: sem troco pra dez... merdita! nessa vida, nem qualquer moeda... e é frustrante qdo a nossa nota é mto alta, ninguém troca, niguém aceita... ai, dorzinha nas beiradas... tudo apertando, e a gente esborra pelas rachaduras...

bjo!