9.7.07

Homenagem aos pais ausentes

Por ocasião da minha formatura, fui responsável pela homenagem a ser feita aos pais falecidos, inclusive o meu próprio.
Resolvi fazer um soneto, que acabou se tornando o primeiro poema que declamei em público. Este poema não está em nenhum dos livretos que lancei.


As luzes do ambiente se esvaecem,
Moléculas de ar brecam o som;
Denso se torna este festivo tom
E nossos olhos, lassos, umedecem.

Este é um momento particular:
A recordação do abraço ausente,
A perda repentina de um parente –
Segundos de caráter secular

O olhar triste sucumbe à gravidade;
O açoite inexorável da saudade
É elevado à última dimensão.

Mas é hora dos passos adiante,
Essa sim é a homenagem gigante
Aos que conosco não mais estão.


(Isaac Frederico, em 2002)

3 comentários:

MARCIA disse...

Adorei esse poema, profundo, dizendo tudo a todos que um dia perderam alguém querido.
Estou adorando acompanhar as poesias desse blog!
Na verdade, tenho uma poeta guardada em mim que se esconde por muito tempo.
Isaac, Abraço.

Márcia Bravo

Vanessa disse...

Perfeita essa homenagem, eu também estou com essa mesma responsabilidade na minha formatura em janeiro de 2010 pra fazer homenagem aos ausentes. Nossa eu como choro à toa nem quero imaginar qdo chegar a hora!!!
Parabéns!!!

Vanessa Soares

edson disse...

muito bom! utilizarei parte da mesma em minha colação! muito obrigado, e claro não esqwuecerei de dizer o autor! abração