19.12.07

Meditação

De volta aos cadernos do embriagado profeta, uma meditação lermanniana.


Não aceito que acusem meus erros de não terem tentado.

Cada um deles teve a glória da tentativa

Enquanto houve a fantasia da possibilidade.

E cada um foi realidade

Enquanto a fantasia se dissipava.

Mas não carrego comigo cadáveres.

Fico apenas com a sorte da experiência

E a sensação boa do rastro.


Pedro Lermann - 1986

Um comentário:

isaac disse...

pedro lermann, velho batuta...