17.1.08

Nebuloso calendário do sono

Aloha presentes, segue novo poema da Luísa Muller, que já esteve por várias vezes nas páginas poéticas deste blog.
"Nebuloso calendário do sono" é poema recente da obra da Luísa, e chama a atenção pela sutileza e diversidade das sensações sugeridas. É um poema completamente palatável, sensorialmente falando.
Presença !

- - -

sentir o velho de novo –
sempre novo –
em forma de sonho
de bêbada noite.

como olhares que se cruzam
através de um castelo
que solidamente desmorona
por dentro e por fora
como mãos que se encostam
num copo esquecidas
aquecidas pelo encontro
que estremece o corpo inteiro
como os pés que tocados
arrepiam a alma
que sente o velho de novo
como se fosse novo –
e dorme feliz.

(e não se fala mais nisso)


(Luísa Muller, 2008)

4 comentários:

william disse...

Sutil, como o esbarrar de duas mãos.Velhas sensações sendo revividas, como se fossem experimentadas pela primeira vez.

william disse...

Para definir as sensações deste poema a melhor palavra que encontrei foi: Tocante.

Heyk Pimenta disse...

Eu gostei dessa dona elisa!

Gostei 'em forma de sonho de b~ebada npoite', opa! é bom isso, caras!

Parabéns pra ela

e pra vcs que nunca erram!

Victor Meira disse...

É uma delícia. Uma sempre-boa transa com o súcubo de sempre. Com boas figuras e sensibilidade de eu-lírico orgulhoso e egoísta, e de parceiro objeto, ainda que eminentemente masculino.

Curta, bem construida e sensual.