12.1.08

Passional

E lhe beijava
com o fervor de cão em brasa
Era feito de véu,
Liso
E sem prumo.



Num momento romântico-dadaista de algum dia de algum ano.

4 comentários:

Guto Leite disse...

Gostei bastante, poeta. Costurado no átimo. Grande abraço.

isaac disse...

"cão em brasa" é foda ein .. e toma-lhe pau dentro, com o perdão de todo o romantismo indo pro saco nessa afirmação tosca, porém necessária heheheh

xica disse...

ai sem prumo...

como não amar...

lindo demais

bjus

FlaM disse...

Uau, eu, te lendo, é que fico assim sem prumo
vou te cartar por aqui tudo
ler você inteiro num poetar sem rumo


bj, f