19.3.08

Valter Di Lascio, sempre

voltando às páginas deste "presença", Valter Di Lascio derrama sua redenção e seu idealismo andarilho. tenho encontrado verdadeiro alento nos versos deste poeta das antigas, que colheu os frutos e os espinhos de uma vida que sempre foi e ainda segue na estrada - ou nas estradas, porque como diz ele "pode me chamar de meio-fio; mundo temos dois: o de vocês e o nosso".

- - -

O novo liberta-se

De que adianta a vida
..........se não houverem riscos?
De que valeria a faca
..........se não cortássemos os artifícios?
De que adiantam as verdades empoeiradas?
Um palavrão preso na garganta
Um fato que poderia ser
..........mas ficou preso nas artimanhas
..........dos velhos grilhões
Com agilidade felina, o novo liberta-se
..........jogando-se da janela do sanatório.


(Valter DiLascio, do livreto "Biscoito com champagne")

Um comentário:

Heyk Pimenta disse...

"Com agilidad felina o novo liberta-se
jogando-se da janela do sanatório"

Fantástico.

Pensa bem o que é o novo pro Valter.

Pensa.

Fantástico.