17.2.09

Fragmentos do imaginário



No último fim de semana lançamos mais um livro, o Fragmentos do imaginário meu segundo pelo selo/blog Presença, o primeiro foi o Elementar, um livreto coletivo com o Isaac e o Vinicius lançado em 2007. A tiragem do fragmentos foi bastante reduzida visto que todo o livro foi produzido por nós mesmos num esquema artesanal. Para aqueles que desejarem lê-lo é só me passar o e-mail que eu envio o arquivo.

Abaixo transcrevo uma apresentação escrita pelo Vinicius e um dos poemas do livro.
Abraços.
.....................................

É preciso se ter cuidado com os livros. Especialmente com os de capa preta. Sossegar um pouco antes de abri-los.
Mas é melhor não analisar, pensou uma vez Fernando Sabino. Analisar é procurar problemas. Concordo, em parte. E essa é a parte que se dá com Fragmentos do Imaginário, faz amizade. É essa parte que sintetiza; feito um fígado que protege a alma da lâmina intelectual.
E ele avisa – logo –, nos versos de Erri de Luca, que é muitos. Humanidade assim, só se encontra nos livros e nos seres humanos È a característica do louco; aquele que perdeu tudo, menos a razão. E o aviso é até simpático. Cria a ocasião de se servir o prato cru. É o recomeço do motim.
E depois é ver o mato se abrir a facadas. Nada de ismos. Só o poeta e seus botões, sem recuo nas horas de salto.
................................... ................... Vinicius Perenha

Modelato em segundo plano

Dos dedos e do barro
surge uma cabeça.

Rechaço de assopro

O ar é grosso

a crina
o crivo
e o escorço.

O par de peitos conversa ranhura.

Coxas de alimentar rebentos
..............volume certo para o repouso.

Cordão trançado.

O desejo se faz do tamanho da fome.

Do tornozelo
até subir ao fosso.

Lírica
canta um anseio de vôo

que a leve
calmamente
.............para o cais de um outro porto.

5 comentários:

Flávia Muniz disse...

Rapaz dabliu aga:

quero o livro em primeiro lugar.
depois : tudo que quando minha irmã fala de ti eu me acho igual a tu.
depois do depois: vou linkar o presença lá no sr. smith.


bj

Heyk Pimenta disse...

grande, mano.

e eu que nem vi esse livreto ainda. Caceta.

Sabe que eu vi umas coisas, umas fórmulas que eu também uso aí nesse poema. Pelo menos usava, desconfio que nem sei mais escrever.

Mas é muito bom, é um poema exato e sábio e apaixonado, bem legal, mano.

Até mais.

O carnaval passou.

Ufa.

Rachel Souza disse...

"para o cais de um outro porto" Imagem bonita,contextualizada ou não, assim,como um recorte.
Beijo.

RAFAEL PEÇANHA disse...

@ O blog do selo presença, do Rio de Janeiro, é um dos melhores de poesia alternativa que tenho visto. Conheci o William no Rio esses dias, brevemente, por intermédio do André. Seu livro mais recente, "Fragmentos do Imaginário", encantou-me sobremaneira. Indiquei o blog e o livro no meu blog, www.rafaelpecanha.blogspot.com. Parabéns galera, vcs merecem.

Lívia Mendes disse...

Parabenizo a brilhante iniciativa! Tenho a felicidade de poder ler o livro "Fragmentos do Imaginário" e sentir-me extremamente única, apesar do William nem me conhecer, em palavras que parecem ter sido ensaiadas para descrever o lindo e contemporâneo capítulo da minha existência. Sucesso! Agradeço ao Peçanha pela indicação...