28.10.06

Patológico

Patológico

Dilacerar-te é um possível caminho,
Mutilar-te em prazer e obtemperar
Às tuas lágrimas a me implorar
Por um beijo, ao teu sangue cor de vinho...

Desprezar-te inteira já não me ocorre;
Os olhos, em expressão de cansaço,
Devo guardar e teu lindo cabaço
Arrancar, em meio ao esperma que escorre...

Não te desesperes, meu beija-flor,
A todo ódio corresponde um amor -
Deixarei-te uma asa para voar!

Não chores, anjinho! Não mais tens paz?
Não te agrada meu carinho mordaz?
Mas... deixei-te uma perna pra mancar !?

(Afonso Nives, em 24 de novembro de 1997)

Um comentário:

Renata disse...

Hahahahaahahah.
Caraca, MUITO BOM, só tenho isso a dizer... hilário! Que sarcasmo fofo!