28.12.06

Renata Dantas

Por causa de alguns problemas que a Renata teve para postar seu texto, me foi concedida a honra de publicar mais uma pérola de sua autoria.
À espera

Ela só queria que ele aparecesse. Não queria beijo ardente. Nem pedido de casamento. Nem casal de filhos. Nem casa de praia em Angra. Só queria que ele aparecesse. Afinal de contas, havia estampado vestido novo. Salto alto nos pés. Esmalte rubro nas unhas. Batom carmim tatuado na boca. Cabelos caídos displicentes sobre os ombros nus. Seria muita desfeita...
Sentada no bar. Sozinha. Adornada com lâminas provenientes do ventrículo esquerdo, escolheu a meia sombra. Para livrar-se da desagradável sensação de que um dia sentiria o odor forte de enxofre e o estalido dos relhos estridentes do inferno.

Com um dedo, ordenou cerveja. Com dois, pediu cigarro ao rapaz na mesa ao lado. Nem fumava, mas ajudava a passar o tempo. "Garçom, outra cerveja, por favor!". E assim ela ficou durante algumas horas. Pedindo cerveja ao garçom, cigarro ao rapaz da mesa ao lado.

O pôr do sol ansioso começou a se espalhar. Banhou-se de crepúsculo para ter a tez cor de cobre e a boca malignamente em chamas. Mas ela sabia que devia ir. Já estava sem os sapatos. A roupa tinha sido colorida com a cerveja. O batom estava borrado. As unhas vermelhas, ruídas. Ele não viera – nem a passos curtos e lentos.
Voltou pra casa querendo quebrar o relógio. Queimar o calendário. Era seu aniversário. Ela tinha tanto. Ela teria. Ela teve um ter de haver havido e sonhar ávido. E ele havia passado por suas veias de poucas hemácias com tanta força que ela ainda sentia a fraqueza da falta do sangue jorrado.
Na manhã seguinte, acordou rápido, embevecida. Não fosse a esquina, teria tido um sono de paz imaculada. Mas sorteou ressaca das grandes. Decidiu comprar o jornal. "Sempre tem alguém que teve uma noite pior que a sua". Foi até a banca, pagou o do dia e uma carteira de cigarros. O jornaleiro: "Moça, cigarro mata". "Não" – disse ela - "o que mata é esperar".

2 comentários:

isaac disse...

este foi um dos primeiros da renata que eu li;
"sangue de poucas hemácias" é impagável rsrsrsrs
desconheço alterações na configuração - renata, vc ainda está tendo dificuldades pra postar ?

abraços a todos e feliz 2007 !

renata disse...

não gente, tá tudo ok. acho que era internet de santarém mesmo.
feliz ano bom queridos!