20.3.07

Insignificacional

De volta ao batente após uma cirurgia de apêndice, o poeta sul-africano manda atualizações de seus versos, aparentemente ainda pós-operacionalmente tenso.
Do auge de seu status sexagenário, eis que me remete a pérola "Insignificacional"... não sei ao certo se o Presença deveria abrigar os versos beligerantes deste guerrilheiro, mas em nome da diversidade aí vão.

* * *
O mais triste
É ser covarde o suficiente
Para culpar todos os demais;
Ser pomposamente incapaz
De julgar a própria ineficiência.
Continuar metralhando o sistema
E se barricarAtrás do ego.

Ou ser masoquista o suficiente
Para culpar apenas a própria inaptidão
E redimir todos os demais bostas
Desta Grande Tragédia;
Se barricar
Atrás do perdão alheio.

Oral, genital, anal…
Tua saga, isso sim,
É insignificacional.

(Afonso Nives, em 17 de outubro de 2006)

Um comentário:

vinicius disse...

mas... como assim?!

D. Afonso Nives, afirmo, tem cadeira na tribuna do Presença, embora creio que o desdito poeta declinaria de um possível convite pra umas cervejas...

mais uma vez o sacana tira das entranhas a caixa de pólvora e incendeia o milharal. Esse sim, merecia a alcunha "sábio guru-eremita".

Vida longa à revolução!