9.3.07

Noivos

Guto Leite volta às páginas do Presença com "Noivos" cuja distribuiçao original de palavras no papel eu nao consegui manter, em virtude da ineficácia do control-ce-control-ve.

Guto irá lançar um livro por uma editora do Rio (Guto mora em SP), desconheço ainda os detalhes que envolvem este lançamento, mas desde já convido os demais "presentes" a abrir as portas das instalaçoes da Editora Presença para o estimado poeta, o que significa, talvez, a nossa cerveja de calçada e lua cheia na lapa.

presença !

* * *

Noivos

lenços anzóis
uns para cada lado
nem paralelos
nem perpendiculares
ao chão
suspenso
vão rimados no oculto
como promessas
as mãos superficiais
com medo
de furar a água
de mau jeito
trocam-se marolas
delicadas
até se deixarem corpos
desprevenidos
um do outro
luzes brancas
nas
velas da onda
refletindo infantes no equívoco
entrecaracolados
seguem lisos
do alarme
no ponto do tempo
em que podem
suas histórias fabulosas
no ápice
arfam estridências submersas
além da abóbada
celeste
do quarto que os envolve
para cansarem-se em instantes
novamente silêncios
lenços
azuis
demoras
rimados em dobra
sem destino pronto

(Guto Leite)

3 comentários:

vinicius disse...

C* irado!
tive a impressão de que estava olhando as fotos de um albúm de alguém que não conheço, embora certas circunstâncias tivessem um quê de familiares.

isaac disse...

esse poema é um achado mesmo.
ele amarra pouco os fatos, ou seja, permite jogo nas interpretaçoes e ao mesmo tempo tem uma guia sutil e agradável.

Guto Leite disse...

Muito obrigado, senhores. Também mais uma vez agradecido pela postagem, caro Isaac. Tô sempre atrás da inquietude afiada dos versos no Presença! Lirismo, lirismo, a todos.