6.11.07

Trecho

"Logo, a poesia tornara-se o poeta,
e o poeta a poesia.
Tornara o verso, uma mecha de cabelo,
uma estrofe algum gesto - sorrir vazio no espelho.
Logo, nasceram-lhe galhos, ramos e uma roseira.
E a poesia figurava no homem, assim como o poeta nas videiras.
Logo, a poesia tornara-se o poeta, amargamente,
e o poeta inteiro a poesia."

(publicado no Sem Digitais)

3 comentários:

isaac disse...

tornaram-se um, amargamente, pétalas e espinhos, simbiose sem volta... sei como é rsrsrs

isaac disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
FlaM disse...

Que lindo!
Amei!
abç, f