2.11.07

Que rima se esconde ?

Magnético enleio, estudo-te os olhos
E fico estático, escutando o elóquio
Silente do olhar que, ávido, estoco –
Poema visual de ausente escólio.

Alguns meros fonemas te dedico
E maiusculizo-os: ÊU-TÊ-Ã-MO;
São quase táteis, tamanho é o ânimo
Que me euforiza, exultante fico.

E se decassílabos me faltarem,
E se as rimas todas se evaporarem?
Que fim terá minha pequena ode?

Meu próprio arrebatamento responde
"A tão bela moça, que rima esconde
Sua aparição, que ao poeta acode?"


(Isaac Frederico)

3 comentários:

Nélia disse...

Eu sou suspeita pra elogiar seus sonetos... Que coisa linda!

FlaM disse...

uau! adorei Isaac!
Também tenho uma queda especial por sonetos... e esse então cheio de boroboletas raras...
bj,

FlaM disse...

Boroletas!
KKKKKKK
Que bonitinho...