16.8.07

A Bula da Ordem - Heyk Pimenta

Não conheço quase nada da história do Heyk. Só sei da acidez de sua poesia. Ao vivo é melhor ainda. Tentei manter a diagramação original do poema, mas o blogger não deixou =(
*******
A BULA DA ORDEM

Como como como
só vomito
me perdi no tempo
mas entendi o ciclo
sensivelmente duro
me tornei pacífico
e regurgito gaivota
porque sardinha fabrico

pra me livrar de tantas vezes
em que meu tesão intensifico
faço pausa pro bom grado
e os outros homens imito

então corro corro corro
porque não há tempo
e assim contemplo

o que como como como e vomito

Heyk Pimenta

3 comentários:

Heyk disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Heyk disse...

Pô, eu agradeço pela colagem. E pela escolha. Gosto desse. As explicações filosóficas em torno dele não terminaram até hoje. De pensador, os de botequim e os de diploma, falando da questão da criação da vondade de consumo até o anti niilismo abrasileirado. Viva a polêmica na arte conceitual. E os esforços demasiados e sem finalidade da ciência.

bom, sempre tem coisa do gênero em:

http://manazinabre.blogspot.com

isaac disse...

oba heyk !

a poesia me chamou a atenção sobretudo pela dinâmica, estrutural e visual.
é um ritmo tal que, quando se vê a poesia já acabou - e a estruturação da poesia retrata isso muito bem.
isso me chamou mais a atenção do que a filosofia dela, propriamente dita..

grande abraço !!