11.11.06

Fogo

Ha!
É a língua de fogo no lombo velhos!

- Move!

____________________________

Fogo

Se danças liberto

E atravessas intrépido com tuas trovas

Esferas quaisquer que interponham

Tua individualidade e o mundo ao redor

Se curvas a cerviz

Percebe derrotas em tuas tentativas

Todas

E teus braços raspam já de leve o chão

Se tuas ações terminam então

Num interminável novo começo

E apesar de cansado sentes que não há como estacar

Vais desconfiar a certa altura

De que a origem de cada atitude

É o fogo que queima teus pés sem permitir

Que até que seja dado o último passo

Terás de continuar.


(vinicius perenha outubro de 2006)



Um comentário:

isaac disse...

o retrato do fogo com não-pontuação,
o retrato do fogo como mola do vir-a-ser,
o retrato do fogo como aríete imparável....

fogo no milharal !