18.11.06

Guto Leite

Como vem colocando em largo fluxo o Presença, poesia boa se encontra também na "calçada", ou seja, há excelente poesia independente sendo feita, em concomitância com o que é lançado nas prateleiras de mercado (tantas vezes também excelente, diga-se).

Outra singela prova disto me chegou com as poesias de Guto Leite;
em composições de caráter mais para o clássico que para o informal, os poemas que li do Guto oscilam entre um rebuscamento fero ("seria a poesia a arte de não conseguir se expressar?", pergunta ele, na busca pela expressão mais exata dentro do poema) e um imaginário bastante tangível e feliz, como nesta :

Em busca do amor mágico

Há um truque perdido
em cada romance.
Sou o menino atento,
de vistas na cartola,

na ânsia da piedade, do erro,
da linha transparente,
do despeito, do fundo falso
ou da marca de cola.

Por mais que os dedos do mágico
movam-se inocentes
no espaço entre o fracasso,
o engodo e a glória,

é certo que não erra,
já que se expõe
somente após o tempo necessário
de treino. Agora

(digo agora no comum, erradamente,
como qualquer instante
depois dos silvos e das palmas)
repito o que vi fora,

internamente, muitas vezes,
obsessivo, sem gesto, quase em transe,
mas logo no momento preciso
nada colabora.

A mágica insiste em soar
como um oboé cortante
e desafinado. Nunca me canso, porém.
Fixo meus olhos na cartola.

E recomeço.

Há um truque perdido
em cada romance.

3 comentários:

isaac disse...

salve guto,
me envie mais poemas, se puder.
ilê boemia

vinicius disse...

Guto Leite?
Poeta do Beco?

Guto Leite disse...

Salve Isaac, Vinícius... poeta do beco? sempre! Tenho acompanhado o site e lido os versos do sr. Issac com admiação. Mando em breve mais poemas! Grande abraço a todos e muito obrgado pelas palavras...